13
set

Agronegócio com profissionalismo.

publicado no Caderno 4.

   O Ceará é o terceiro estado nordestino exportador de derivados do agro.

                Os cearenses são os maiores exportadores de castanha e extrato de caju no Brasil. Nessa lista também se incluem o melão, melancia, lagosta, cera de carnaúba, sucos de frutas e flores. A Terra da Luz se destaca nas vendas de produções da fruticultura, floricultura, apicultura e produtos orgânicos.

Os tecnólogos em agronegócios estão aptos para trabalhar em consultoria e comércio rural.

         É visível que o Ceará conta com expertos para o agronegócio da fruticultura. O clima é um fator colaborativo: três mil horas de sol ao ano, com baixa umidade. Com temperaturas altas e estáveis, o Estado goza de reserva hídrica para suportar o aumento da área plantada, incorporando tecnologias de produção.

                 A comercialização de agronegócios cearenses é assistida pelos Portos do Mucuripe e do Pecém, com destaque para este último ao consolidar sua posição como maior porto exportador de frutas do Brasil em 2009. Por sua vez, o Aeroporto Internacional de Fortaleza, possui infraestrutura moderna com câmaras refrigeradas para pescado, flores e frutas; os quais, em voos diretos, são efetivamente colocados nos mercados da Europa e Estados Unidos.

         Mas, segundo especialistas da área, o segmento agrocomercial pode ser caracterizado por uma situação de dualidade. Ao tempo em que revela uma oportunidade, se manifestam certas carências de conhecimentos e práticas essenciais. O diferencial está na qualificação e renovação técnico-teórica permanente.

PERFIL PROFISSIONAL

         Os gestores em agronegócio devem tesourar uma capacidade empreendedora, pois esta é uma exigência para o desenvolvimento de novas comercializações. Além de enxergar a importância do desenvolvimento regional, visando melhorar a rentabilidades dos investidores.

         Administrar os diversos processos do agronegócio é uma prática complexa que demanda ter flexibilidade para programar as mudanças logísticas necessárias. Entre as principais atividades desenvolvidas por este profissional estão as de: planejar, gerenciar e executar ações para a otimização da produção agroindustrial e gerenciar processos logísticos em canais de distribuição e cadeias produtivas. Além de aplicar conhecimentos através de novos processos tecnológicos. Portanto faz-se fundamental para o gestor se manter informado das novidades, e desenvolver suas criatividade e proatividade.


MERCADO DE TRABALHO

         Os tecnólogos em agronegócio estão aptos a trabalhar em empresas de consultoria, centros de pesquisa e em empresas de serviço públicos e privados do rubro. Também podem desempenhar-se em entidades de classe agroindustriais, organizações não governamentais, universidades, escolas agrotécnicas, cooperativas, associações e organizações financeiras de fomento ao agronegócio. Ou erigir a empresa própria de produção, venda e distribuição de produtos agrícolas.

ONDE ESTUDAR

         Instituições como o IFCE, Instituto Federal do Ceará, oferecem formação em diversas áreas do agronegócio. Capital e interior dispõem dessas unidades. Em Quixadá, por exemplo, existe a formação Tecnologia em Agronegócio.
O recomendável é entrar em contato e conferir as oportunidades.

SERVIÇO:
Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia. Tel:
(85) 3401.2322. Site: www.ifce.edu.br