04
out

Deixe sua chave comigo!

publicado no Caderno 7

     O termo inglês valet ganhou popularização no Brasil. Em português, está associado ao manobrista. Profissional com grande chance de ingressar e se firmar no mercado de trabalho devido aos eventos que atraem convidados que chegam em carros próprios.

O manobrista Edson Barros estaciona mais de 80 veículos por dia. Os megaeventos aumentam a empregabilidade de diferentes áreas vinculadas ao setor. Uma delas é a do manobrista de veículos.

    As empresas que oferecem o serviço de valet precisam de especialistas que dominem a direção de diferentes carros e camionetes e consigam estacioná-los de forma organizada.

DIRIGINDO A PROFISSÃO

    Com a chegada do Centro de Eventos, a procura por manobristas tende a crescer. Portanto, vale apostar nesse segmento, como fez Edson Barros Moreira, motorista que trocou o emprego de operador de caixa pelo de manobrista num shopping de Fortaleza. “Como manobrista ganho mais do que ganhava como operador de caixa”, afirma o jovem.

    A atividade pode render boas retribuições financeiras, mas requer habilidades específicas, que todos os dias desafiam Edson e seus colegas. “A todo o momento chegam carros diferentes e temos que dar conta de dirigi-los. A primeira vez que peguei um carro automático, por exemplo, foi bem difícil”, confessa. Entretanto, a prática desses profissionais os torna habilidosos e destemidos, uma vez que não é tão simples assim ter nas mãos um bem tão valioso.

   Quem optar por essa profissão deve seguir algumas dicas. A pessoa, primeiramente, deve ter zelo e respeito pela propriedade alheia, além de ser dinâmico, habilidoso e honesto. “Dentro de um veículo, muitas vezes, tem dinheiro, cheques… bens materiais do dono. Devemos ter respeito pelo que não nos pertence. Além disso, não se pode mexer no banco, no som, nem nos retrovisores. Tudo tem que ficar do jeito que está”, destaca.

   Apesar de ser uma profissão de grande responsabilidade, Edson Barros ressalta as dificuldades da área. Segundo ele, a profissão deveria ser mais respeitada pelas pessoas e empresas cearenses. “Às vezes os clientes não dão o verdadeiro valor ao nosso trabalho. Eu acredito que, agora, o Centro de Eventos vai dar uma maior visibilidade e trazer oportunidades significativas, podendo assim, mudar essa história”, avalia o manobrista.