04
out

Ofício de impacto visual.

publicado no Caderno 7

    O profissional da criação visual não é apenas um mero executante, mas sim, um condutor criativo que segue um objetivo de comunicação.

O designer dá forma ao que foi previamente imaginado, alinhando imagem e texto. Sua qualificação é condição básica para trabalhar.

    Para vários especialistas não há uma distinção entre a propaganda e o design gráfico. As duas disciplinas compartilham os mesmos elementos: informações, ideias, expressões e sentimentos em formas visuais.

      A PROFISSÃO

        A carreira do designer começa com o estudo da tipografia (fontes), elemento com o objetivo de organizar estruturalmente a comunicação impressa. Foi com essa letra usada criativamente que começou a ser escrita a história de Alessandro Muratore, designer gráfico que descreve sua profissão como “amor à primeira vista”.

Aos 8 anos de idade, estimulado por vizinhos proprietários de uma gráfica, Muratore já ajudava no acabamento das peças. “Logo fui convidado a trabalhar nessa empresa e virei tipógrafo. Eu montava as chapas para impressão letra por letra, placa por placa”, lembra. “Depois trabalhei como linotipista e finalizador. Esse período foi importante, pois me deu conhecimentos sobre todo o processo, até conseguir o produto final”, completa.

    Alessandro atualmente trabalha na área de design editorial na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará e tem uma empresa em sociedade com uma amiga. No entanto, ele pretende crescer e se destacar a partir das produções no CEC. “O Centro de Eventos será um divisor de águas na história do turismo de negócios no Estado. Agora, com essa estrutura física e tecnológica, faremos parte do roteiro das maiores e melhores feiras. Tudo isso precisa ser comunicado e, como designers, faremos parte desse grande negócio”, finaliza o designer.

ESTUDO SEM FIM

     Muratore ressalta que o trabalho de um designer demanda aprendizado constante. A qualificação é importantíssima e diferencia o amador de um profissional, o que repercute na valorização do trabalho. “Cursei publicidade e propaganda na faculdade, além de um curso de desenho gráfico. O designer precisa incorporar técnicas e alimentar-se de música, arte e imagens”, destaca.

    Desafios e obstáculos aparecem diariamente: “Hoje você faz um projeto de revista, amanhã pode criar outro projeto e mais tarde desenvolver a identidade visual de uma empresa, tudo quase que simultaneamente. Não ter preconceitos e ser dinâmico são requisitos fundamentais para qualquer designer”, afirma Muratore.


FIQUE POR DENTRO!

Existem cursos de designer gráfico e editorial em escolas particulares, assim como no Senac.

Senac: Curso de Editor Gráfico.

Pré-Requisitos: 16 anos e Ensino Fundamental concluído.

Descrição: Capacita o participante para a arte finalização de material gráfico impresso em meio eletrônico, realizando editoração gráfica e confecção de materiais impressos.

Tel: (85) 3452.7005.

Site: www.ce.senac.br/cursos/