23
ago

Onde procurar emprego hoje.

publicado no Caderno 1.

Portos, transposição, siderúrgica, montadora, hospitais, refinaria, estradas… Palavras que mexem com aquele que busca novo emprego.

   No Ceará, o ano de 2011 foi marcado pelo aumento de oportunidades em setores ligados à infraestrutura e ao investimento produtivo. Mas nem sempre boas partes das vagas que convocaram pessoal qualificado foram preenchidas, por diferentes motivos.

MAPA DE EMPREGOS NO CEARÁ – PRINCIPAIS MUNICÍPIOS.

Mais de 80 mil novos empregos foram gerados no Ceará durante 2011, em diferentes setores e municípios que demonstram crescimento.

AS DIFICULDADES DA EXPANSÃO

   Algumas das principais carências profissionais no Ceará são de natureza educativa. Mais de 30 % da população cearense ainda não possui acesso aos ensinos fundamental e médio. Segundo os especialistas, boa parte destes brasileiros é conformada. Uma parcela considerável ainda é analfabeta.

   Para numerosas funções nem é preciso contar com educação básica. O primordial, muitas vezes, é saber desempenhar um ofício ou apenas conhecer técnicas de manipulação da atividade escolhida. Segundo especialistas em recursos humanos, é neste momento que surge um desafio: a vontade do candidato em aprender. Mesmo junto a outras complicações como, por exemplo, uma situação familiar instável.

   No entanto, vale ressaltar, que as políticas públicas em nível estadual e municipal começam a considerar estes fatores como primordiais, haja vista que certas ocasiões de despreparo geram contundentes travas para o desenvolvimento.

   Alguns representantes políticos atribuíram as causas deste fenômeno aos planos de ação social e incentivos desenvolvidos pelo Governo Federal. Porém, essa “injeção de recursos” para as camadas mais humildes deveria estar garantindo a sua inserção no mercado, pelo menos como consumidores que colaboram com a circulação regional de recursos, para tornar-se posteriormente ativos dentro da produção.


ANOS PARA CRESCER

   Alguns representantes políticos atribuíram as causas deste fenômeno aos planos de ação socialdesenvolvidos pelo Governo Federal. Porém, essa “injeção de recursos” para as camadas mais humildes deveria estar garantindo a sua inserção no mercado, pelo menos como consumidores que colaboram com a circulação regional de recursos, para tornar-se posteriormente ativos dentro da produção.

Assim mesmo, o último decênio apresenta um Brasil que, atravessando duas crises internacionais, consegue duplicar os investimentos públicos e privados a cada ano. As corporações de trabalhadores das mais diversas áreas demonstram uma organização plasmada em empresas e instituições conhecidas como de “terceiro setor”. Em formas de sindicatos, grêmios, associações e serviços sociais, estas entidades fornecem qualificações e capacitações que visam colaborar com a inserção de novos empregados, num contexto de crescimento ininterrupto da demanda. Estes são os casos dos órgãos conhecidos como “S”s: Senai, Senac, Sebrae, Sesc, Sesi, Senar; bem como de outras entidades autônomas.

   No Ceará, o crescimento do oferecimento dos postos de trabalho veio principalmente de áreas como engenharia, construção civil, tecnologia da informação e turismo. São esses setores que devem gerar a maioria das oportunidades nos próximos anos. A explicação está também no fato do Estado receber dois dos maiores eventos esportivos do planeta: a Copa das Confederações e a Copa do Mundo da Fifa.

   A esta notável elevação da empregabilidade em setores como o de serviços, comercial e industrial deve agora passar pela fase de crescimento qualitativo da força de trabalho.

 

DICAS PARA ENCONTRAR TRABALHO

O emprego formal está no seu melhor momento histórico. É sua chance também de regularizar sua situação para progredir como trabalhador.

 Gidlafe Rodrigues – Gerente da unidade do Sine/IDT.

Seguir a demanda de mercado, esse é o conselho do gerente da unidade do Centro da Cidade do Sine/IDT. Gidlafe Rodrigues explica que no início do segundo semestre as vagas de emprego se direcionam mais para o setor da indústria que busca se preparar para atender a demanda do fim de ano. A confecção trabalha a todo vapor. Costureiras e auxiliares de produção com emprego garantido. “Pra se ter uma ideia, a costureira que vem ao Sine/IDT tem a opção de sentar e escolher onde quer trabalhar”, afirma Rodrigues. Já para os meses de outubro e novembro, o gerente do Sine ressalta que as vagas melhoram para o setor de comércio. Vendedores, operadores de caixa, recepcionistas e empacotadores podem se dar bem. E não é possível esquecer que Fortaleza é conhecida pelo turismo. Portanto, no setor de serviços se abrem portas o ano todo.


Jussara Bisol – Gerente do Centro Regional de Moagem e Panificação do Senai-Ce.

   Cerca de 70% do Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará corresponde ao setor de serviços. Nesse contexto, a gerente Jussara Bisol, afirma que um dos segmentos em destaque é o da alimentação. Para ela, o trabalhador que investir na elaboração de pratos rápidos e diferenciados pode encontrar facilmente uma vaga, seja em grandes empresas ou de forma autônoma. Ela explica que o perfil do cearense está mudando: hoje tanto as pessoas que trabalham fora o dia inteiro, ou aquelas que são solteiras ou até mesmo os idosos, não dispõem de tanto tempo para cozinhar. Desta forma, se o profissional apostar na busca de cursos profissionalizantes
que ensinam as “manchas” da cozinha rápida, certamente, ele se garantirá um posto no mercado de trabalho.