23
ago

Qualificação especializada para o momento certo.

publicado no Caderno 1.

   Os cursos técnicos são programas de estudo que não oferecem a mesma disciplina que uma faculdade. Inclusive, eles representam uma categoria especial do Sistema de Ensino Brasileiro.


Ao contrário das universidades, que fornecem uma visão completa da área estudada, o objetivo de um curso técnico é mais específico: capacitar rapidamente para o mercado de trabalho.

Estas capacitações costumam estar mais focadas na prática do que na teoria das faculdades. Algumas, inclusive, são totalmente práticas por seguirem o objetivo primordial de produzir mão de obra.

A capacitação para cabeleireiro do Senac faz parte de um grupo de cursos técnicos oferecidos pela instituição, que convoca anualmente mais de 300 alunos.

NO BRASIL, SE DIVIDEM EM TRÊS CATEGORIAS BÁSICAS:

Curso Técnico Integrado.

Substitui parcialmente o ensino médio e pode ser iniciado logo após a conclusão do ensino fundamental. É a maneira mais simples de aprender uma profissão, apesar de ser considerada a formação mais elementar.

Curso Técnico Externo.

Depois que o aluno tem concluído o primeiro ano do ensino médio, pode fazer o curso técnico em forma paralela. A vantagem é que o aluno termina o ensino médio com uma profissão garantida e pronto para trabalhar.


Curso Técnico Profissionalizante.

É uma opção para quem já concluiu o ensino médio e quer entrar rapidamente no mercado. Pode substituir o ensino superior ou ser feito em paralelo a faculdade. Embora dure menos tempo, tem a desvantagem de representar uma formação mais simples em relação à universidade.

ATENÇÃO ÀS DICAS
Para a maioria dos especialistas, qualquer momento da vida do trabalhador é o certo para buscar a qualificação profissional.

Rodrigo Leite – Diretor de Educação Profissional do Senac-Ce.
De acordo com Rodrigo Leite, do Senac-CE, a qualificação profissional é essencial não só pela inserção de jovens e adultos no trabalho, mas também para mantê-los nos empregos. Leite levanta ainda uma questão de suma importância: a qualificação profissional deve ser feita corretamente. “Ministrada por instituições sérias que valorizam a inovação e a formação crítica, isto é, de maneira consciente, e de acordo com a demanda do mercado”, explica.

Andréa Rocha – Coordenadora da Educação Profissional da Secretaria de Educação do Estado.
Está mais do que provado que a qualificação profissional de fato muda a vida das pessoas. Assim o garantem especialistas como Andréa Rocha, que comanda cursos técnicos para jovens ainda no ensino médio. Esta coordenadora estadual salienta que a educação profissional deve andar em parceria à oferta da região onde vive o aluno. Por conta disso, as Escolas Estaduais de Ensino Profissionalizante, por exemplo, atendem a demanda de onde estão instaladas.