30
ago

Vagas na sonhada siderúrgica.

publicado no Caderno 2.

O projeto do ex-governador Virgílio Távora levou mais de três décadas para sair do papel.

   O empreendimento reúne à brasileira Vale, com as sul-coreanas Posco e Dongkuk Steel: gigantes do setor que juntos serão responsáveis por aproximadamente 6% do aumento no Produto Interno Bruto do Ceará, apenas na fase de construção da siderúrgica. Mesmo assim, especialistas em recursos humanos consideram insuficiente a mão de obra capacitada para este empreendimento.

30 anos se passaram para que a siderúrgica cearense começasse a virar realidade. Trabalhar com metais é para funcionários apto; os cearenses já podem apreender o ofício.

   Na fase de construção e montagem a CSP deve gerar cerca de 15 mil empregos diretos e indiretos. Uma vez em operação, a siderúrgica vai precisar de, pelo menos, quatro mil trabalhadores. Se você deseja garantir-se numa dessas vagas, é fundamental começar a se preparar. Os Centros Vocacionais Técnicos do Governo do Estado são uma boa opção para quem deseja se qualificar na área da metalurgia. Casualmente, no município onde a CSP está sendo instalada existe um CVTEC. Mas é obrigatório procurar o Centro Vocacional mais próximo do seu domicílio.


TRABALHO PESADO

   Numa usina siderúrgica aço e ferro são criados a partir do aquecimento do minério de ferro bruto e outros materiais. Muitos tipos de aço e ferro podem ser fabricados em uma siderúrgica, através da alteração dos componentes utilizados. Trabalhar dentro de uma “fundição”, como as siderúrgicas são chamadas popularmente, é considerado um ofício duro e exigente.

ENGENHARIA METALÚRGICA

   A Universidade Federal do Ceará oferece desde 2006 o curso de graduação em Engenharia Metalúrgica. O engenheiro metalurgista é responsável pelo beneficiamento de minérios, pela sua transformação em metais e ligas metálicas, e pelas suas aplicações na indústria.
Este profissional atua em todo o processo, desde a extração, refino e obtenção de ligas metálicas, para os mais diversos usos. Desde a confecção de chapas e vigas para a construção civil, até a produção de latas de refrigerante. O metalurgista também combina metais com outros materiais, como vidro, plástico e cerâmica. Assim criam-se compostos com novas propriedades. Presente em diversos segmentos industriais, esse especialista é indispensável nas chamadas indústrias de base.
Acesse: www.metalmat.ufc.br