Caderno 7 - Saúde: sempre em alta

23 agosto

Campo Aberto – Editorial.

A procura pelos serviços médicos, nas mais variadas especialidades, tende a aumentar, conforme a população tem mais filhos ou envelhece.

IP - Fascículo 07 - 11_08_16_Página_02

O crescimento populacional no Brasil e, consequentemente, no Estado do Ceará, é uma realidade. Para se ter uma ideia da velocidade de aumento do número de pessoas no País, entre julho de 2014 e julho de 2015, a população brasileira cresceu 0,87%, o que representa aproximadamente 1.682.087 indivíduos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil chegou, em julho do ano passado, a 204.450.649 habitantes. O Ceará é o 8º Estado mais populoso do País, com 8.904.459 pessoas – é o terceiro mais populoso do Nordeste, atrás apenas da Bahia (15.203.934) e de Pernambuco (9.345.173).O primeiro colocado do ranking é São Paulo, com 44,4 milhões de habitantes.

Os dados demográficos são um dos indícios de que os profissionais da área da saúde vão continuar sendo bastante requisitados nos próximos anos. Afinal, a procura pelos serviços médicos, nas mais variadas especialidades, tende a aumentar, conforme a população tem mais filhos ou envelhece.

Além disso, o Ceará tende a abrir ainda mais oportunidades para os profissionais de saúde, com a ampliação da rede hospitalar. São exemplos disso a ampliação e reforma dos hospitais municipais (Hospital Distrital Evandro Ayres de Moura, no Bairro Antônio Bezerra; o Hospital Distrital Maria José Barroso de Oliveira, em Parangaba; e o Hospital Distrital Edmilson Barros de Oliveira, em Messejana), conhecidos por “Frotinhas”, além da construção de um novo edifício onde funcionará o anexo do Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), o maior hospital de trauma do Estado.

As oportunidades trazidas pela área da saúde para os profissionais no Ceará é o tema central do sétimo e penúltimo caderno da série Inclusão Profissional, publicado pelo Jornal Diário do Nordeste. Conheça algumas das instituições que se destacam na qualificação para este segmento. Quais são as formações técnicas de maior destaque? Conheça um pouco do campo aberto para os profissionais que trabalham com idosos.

Veja, também, a atuação dos profissionais de terapias integrativas e complementares. Saiba como os profissionais lidam com o estresse diário e veja as ocupações que permitem que o profissional exerça seu ofício como autônomo.

Boa leitura e mãos à obra!

 

CORREÇÃO

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), por meio de sua assessoria de imprensa, solicitou a correção de algumas informações publicadas no caderno 5 da série Inclusão Profissional, no último dia 28 de julho. A CSP esclarece que, ao contrário do que informa o Editorial, o projeto da CSP tem o valor de US$ 5,4 bilhões e não US$ 5,3 bilhões. Além disso, a empresa afirma que, ao invés de ter ocorrido no início de abril, a produção do primeiro coque na CSP aconteceu em maio. Outra correção diz respeito ao número de funcionários empregados na fase de operação: ao invés de “cerca de mais de 3 mil vagas”, conforme informou o Editorial, serão empregados “2.800 profissionais, além de serem abertas 1.200 vagas terceirizadas e outras 12.000 indiretas.”

A assessoria de imprensa da CSP também fez observações na reportagem “Grande potencial” (página 4), esclarecendo que “o Projeto Janela de Oportunidades (PJO) é iniciativa mantida pela CSP desde outubro de 2015 e realizada em parceria com a PEC, empresa responsável pela construção da siderúrgica e empresas que estão chegando para fazer parte da cadeia CSP, além do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-CE), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-CE) e Sine/IDT. O Termo de Cooperação Técnica assinado em junho oficializou e ampliou parceria para realocação de trabalhadores da obra.”

Outro dado esclarecido pela CSP, por meio de sua assessoria, é com relação ao número de trabalhadores desmobilizados: “até junho de 2016, foram desmobilizados 6.510 trabalhadores” (e não 7 mil, conforme publicado). A CSP também informa que “o PJO (Projeto Janela de Oportunidades) disponibilizou 3.259 vagas e já absorveu 1.180 profissionais entre empresas contratadas para fase de operação da CSP e empresas da região do CIPP (dados até junho de 2016, do Sine/IDT – SGA, Caucaia, Paracuru e Pecém).” Agradecemos a colaboração da Companhia Siderúrgica do Pecém quanto aos esclarecimentos realizados.